Orlândia, 18 de Dezembro de 2017
    Programação
    Visitantes Online
    32 usuários online
    Gazeta no Smartphone
    Enquete
    Enquete ajax
    Gazeta no Facebook
    Notícias
    Audiência Pública sobre a Água de Orlândia: tarifa não aumenta e o foco inicial é garantir o fornecimento.
    30/11/2017 - 11:14

    A audiência pública que aconteceu ontem (29) na Câmara Municipal apresentou um estudo sobre a rede hídrica de Orlândia.
    Os dados foram apresentados na audiência pública por Maíra Martins Costa - representante da empresa Barbosa Mello, que realizou o estudo sobre a rede hídrica de Orlândia.
    O trabalho feito pela Barbosa Melo contou com a supervisão de Luciano Novaes-Engenheiro civil e doutorado em setor ambiental pela USP de São Carlos.
    Os dados técnicos do estudo apontam que os setores de água e esgoto do município de Orlândia necessitam de um investimento aproximado de R$ 96.000.000,00.
    Segundo Maíra Martins a empresa vencedora da licitação, assumiria o gerenciamento do DAE por 35 anos, e o valor da tarifa de água não sofreria nenhum aumento. Maíra destacou ainda que a empresa que assumir esse trabalho irá gerar novos postos de trabalho na cidade e que os funcionários públicos que hoje trabalham no DAE, poderão ser relocados para outros setores que acomodem seus cargos ou poderão optar trabalhar pela empresa, porém para isso, o servidor público deverá se desligar da prefeitura.
    Luciano Novaes destacou a perda de água em Orlândia. Segundo o engenheiro o estudo aponta um perca de 60% do total de água captada, 30% em ligações clandestinas e 30% com vazamentos ou evaporação.
    Será necessário R$ R$ 78 milhões de investimento no setor de água e R$ R$ 15 milhões no setor de esgoto, cerca de R$ 2,5 milhões anuais ao longo de 35 anos.
    Luciano ressaltou que o foco inicial nos 3 primeiros anos deve ser a diminuição da perca de agua captada e a garantia do fornecimento a população, além da implantação de segurança nos poços de captação para coibir vandalismos e furtos.
    Do abastecimento de água da cidade, 50% é proveniente do córrego dos Palmitos e 50% de poços artesianos.